DEUS ou BIG BANG? – A Origem do Universo como foi? “Criação versus evolução”

Fonte: GotQuestions.orgDeus ou big bang? Qual a origem do mundo?

DEUS ou BIG BANG? – A Origem do Universo como foi? “Criação versus evolução”

Resposta: Alguns cristãos são veementemente contrários à teoria do “Big Bang”. Eles a veem como uma tentativa de explicar a origem do universo sem Deus. Outros a adotam com a ideia de que foi o próprio Deus quem causou a explosão. Deus, em Sua infinita sabedoria e poder, poderia ter optado por usar esse método para criar o universo, mas não o fez. A razão definitiva que pode ser destacada é que a Bíblia argumenta contra tal método. Aqui são algumas das contradições entre a Bíblia e a teoria do Big Bang:

Em Gênesis 1, Deus criou a Terra antes do sol e das estrelas. A teoria do Big Bang requer que a ordem seja o contrário. Em Gênesis 1, Deus cria a terra, sol, lua, estrelas, vida vegetal, vida animal e a humanidade em um período de seis dias de 24 horas. A teoria do Big Bang requer bilhões de anos. Em Gênesis 1, Deus criou toda a matéria por Sua palavra falada. A teoria do Big Bang começa com a matéria já em existência e nunca explica a sua fonte ou causa inicial.

Em Gênesis 1, Deus soprou vida no corpo perfeitamente criado de Adão. A teoria do Big Bang requer bilhões de anos e bilhões de circunstâncias casuais para dar origem ao primeiro ser humano, e nunca pode explicar como a primeira forma de vida microscópica chegou a “evoluir” de um átomo não-vivo. Na Bíblia, Deus é eterno e a matéria e o universo não o são. Existem diferentes versões da teoria do Big Bang, mas na maioria delas o universo e/ou matéria é eterna. Em Gênesis 1, a existência de Deus é afirmada: “No princípio Deus…” O verdadeiro objetivo da teoria do Big Bang é negar a Sua existência

O propósito deste artigo é explicar, de acordo com a Bíblia, por que existe o debate “criação versus evolução”. Romanos 1:25 declara: “Pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém.”

Um fator crucial que todos nós devemos reconhecer é que a vasta maioria dos cientistas que creem na evolução são também ateus ou agnósticos. Há alguns que abraçam alguma forma de evolução teísta, e outros que têm uma visão deísta de Deus (Deus existe, mas não está envolvido no mundo… tudo acontece em seu curso natural). Há alguns que genuína e honestamente examinam estes dados e chegam à conclusão de que a Evolução se encaixa mais nos dados disponíveis. Mais uma vez, entretanto, estes representam uma porção insignificante dos cientistas que defendem a evolução. A vasta maioria dos cientistas evolucionistas atesta que a vida se desenvolveu inteiramente SEM QUALQUER intervenção de um Ser superior. A evolução é, por definição, uma ciência naturalista.

Para que o ateísmo seja verdade, deve haver uma explicação alternativa para como o universo e a vida chegaram a existir. Apesar de crenças em alguma forma de evolução serem anteriores a Charles Darwin, Darwin foi o primeiro a desenvolver um modelo plausível de como a evolução pode ter ocorrido: a seleção natural. Uma vez Darwin se identificou como cristão, mas mais tarde renunciou a fé cristã e a existência de Deus como resultado de algumas tragédias ocorridas em sua vida. A evolução foi “inventada” por um ateu. O objetivo de Darwin não foi tentar derrubar a verdade da existência de Deus, mas este foi um dos resultados finais da teoria da evolução. A evolução é um suporte do ateísmo. Os cientistas evolucionistas da atualidade provavelmente não admitiriam que seu objetivo é dar uma explicação alternativa para a origem da vida, e portanto estabelecer uma base para o ateísmo. Entretanto, de acordo com a Bíblia, isto é exatamente o porquê da existência da teoria da evolução.

A Bíblia nos diz: “Disse o néscio no seu coração: Não há Deus” (Salmos 14:1; 53:1). A Bíblia também proclama que as pessoas não têm desculpas para não crerem em um Deus Criador, “Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis” (Romanos 1:20). De acordo com a Bíblia, qualquer um que negar a existência de Deus é um tolo. Por que, então, há tantas pessoas, incluindo alguns cristãos, que “aceitam” que os cientistas evolucionistas sejam intérpretes imparciais das informações científicas? De acordo com a Bíblia, são todos tolos! O fato de serem tolos não implica falta de inteligência. A maioria dos cientistas evolucionistas é intelectualmente brilhante. O fato de serem tolos indica uma incapacidade de aplicar adequadamente o conhecimento. Provérbios 1:7 nos diz: “O temor do Senhor é o princípio do conhecimento; os loucos desprezam a sabedoria e a instrução.”

Os cientistas evolucionistas debocham da Criação e/ou do Design Inteligente como sendo não-científicos, e não valendo a pena de serem examinados cientificamente. Para que algo seja considerado como uma “ciência”, dizem eles, deve estar sujeito à observação e ser provado, deve ser “naturalista”. A criação, por definição, é algo “supernatural”. Deus e o supernatural não podem ser observados ou testados (e por aí continua a discussão), e por este motivo, a Criação e/ou o Design Inteligente não podem ser considerados como uma ciência. Como resultado, toda a informação é filtrada através da pré-concebida, pressuposta e pré-aceita teoria da evolução, sem explicações alternativas a serem consideradas.

Contudo, a origem do universo e a origem da vida não podem ser testadas ou observadas. Tanto a Criação quanto a evolução são sistemas baseados na fé, ao falar das origens. Nenhuma das duas pode ser testada, pois não se pode voltar atrás bilhões (ou milhares) de anos para se observar a origem do universo e da vida no universo. Os cientistas evolucionistas rejeitam a Criação com bases que logicamente os forçariam a também rejeitar a evolução como uma explicação “científica” para as origens. A evolução, pelo menos em relação às origens, não se encaixa na definição de “ciência”, assim como não o faz a criação. A evolução é supostamente a única explicação das origens que pode ser testada; por este motivo, é a única teoria das origens que pode ser considerada “científica”. Isto é tolice! Os cientistas que defendem a evolução estão rejeitando uma teoria plausível das origens sem ao menos examinar seus méritos com honestidade, somente por não se encaixar em sua ilogicamente estreita definição de “ciência”.

Se a Criação é verdadeira, então há um Criador perante O Qual somos responsáveis. A Evolução é um suporte ao ateísmo. A Evolução dá aos ateus uma base para que expliquem como a vida existe longe de um Deus Criador. A Evolução nega a necessidade de um Deus que esteja envolvido com o universo. A Evolução é a “teoria da criação” para a “religião” do ateísmo. De acordo com a Bíblia, a escolha é clara. Podemos crer na Palavra de nosso onipotente e onisciente Deus, ou podemos crer nas ilogicamente tendenciosas explicações “científicas” vinda de tolos.

 



Comentários